Como antecipar um recebível?

Antecipar um recebível pode ser feito através de três modalidades: Bancos, FIDCs e factorings/securitizadoras.

Os bancos costumam possuir taxas mais competitivas, mas apresentam uma maior burocracia para aprovação das operações.

Os FIDCs têm taxas menores e processo de desembolso mais rápidos, além de efetuar operações isentas de IOF. Por outro lado as taxas não costumam ser tão boas e os montantes mínimos costumam ser elevados.

Já as factorings ou securitizadoras tem taxas mais altas, mas são menos burocrática e atendem uma gama maior de clientes, que por vezes os bancos e FIDCs não atendem.

Após a escolher a instituição que fará as operações, é necessário cadastrar a empresa e aguardar a aprovação para então poder vender os títulos mediante aprovação do cadastro dos clientes. Algumas instituições financeiras trabalham com um período de 24h a 7 dias úteis para a antecipação.

Qual é o valor das taxas cobradas na antecipação de recebíveis?

Há diversas empresas que antecipam recebíveis, e cada uma possui uma particularidade e uma forma de atuação. É importante que a escolha da instituição não seja baseada apenas nas taxas mas também nos prazos, burocracias, solidez do fornecedor, etc. 

Algumas instituições citam apenas a taxa percentual de desconto de cada título, já outras cobram uma tarifa fixa a cada título descontado, tarifa de transação, tarifa de antecipação, tarifa de abertura de crédito e taxa de IOF. Com isso, é possível que uma taxa de 2%, quando somado todo o custo de antecipação, acabe ultrapassando 15%.

Portanto, é fundamental que a empresa, quando for antecipar seus recebíveis, analise todas as taxas e tarifas envolvidas e o custo real efetivo da operação.

Quais os impostos que incidem sobre o desconto de recebíveis?

Quando se faz a antecipação de recebível através de um fundo FIDC, não há a incidência de IOF, o que se torna uma grande vantagem. Quando esta operação é realizada através de um banco, de uma factoring ou de uma securitizadora, há a incidência do imposto que, numa operação de 30 dias, é de aproximadamente 0,6%. Esta taxa quando incide acumulativamente em um prazo maior torna-se muito elevada. 

Apesar dos FIDCs não terem IOF nas operações, normalmente tem taxas maiores que os bancos ou factorings e securitizadoras. Não se baseia apenas na questão do IOF para tomar a decisão de onde antecipar seus recebíveis. Analise o custo total da operação, antes de tomar a decisão.

Em resumo, vale a pena antecipar os recebíveis?

Assim como as outras decisões gerenciais, usar os recebimentos futuros da empresa para controlar o fluxo de caixa atual precisa ser analisado e planejado para não causar problemas em médio e longo prazos. 

Mesmo que considerada uma operação vantajosa, a antecipação de recebíveis não deve ser um hábito e sim uma alternativa a ser utilizada quando realmente não for possível resolver a situação com os recursos que a empresa tem em caixa, ou em caso de um investimento/oportunidade de mercado com retorno rápido.

Quer saber mais sobre como antecipar um recebível? Fale conosco clicando aqui!

Ficou com alguma dúvida? Veja as perguntas mais frequentes.

Quer estar por dentro do mundo das finanças?

Assine a newsletter do Conexão Financeira.