Glossário:

Confira os principais termos sobre Capital de Giro:

ANÁLISE DE CRÉDITO: Procedimento em que os tomadores de crédito apresentam suas situações para os fornecedores de crédito. Deve ser apresentado um conjunto mínimo de garantias de que os pagamentos serão feitos de acordo com o esperado.

ANTECIPAÇÃO DE RECEBÍVEIS: A obtenção de recursos financeiros a curto prazo a partir do desconto de duplicatas ou boletos com vencimento futuro. 

ATIVO: Conjunto dos bens e direitos de uma empresa.

ATIVO CIRCULANTE: é toda a forma de recursos disponíveis ou facilmente convertidos em liquidez, como valores em contas bancárias, aplicações financeiras, contas a receber, entre outros. Quanto maior o capital de giro líquido, maior a capacidade da empresa em cumprir seus compromissos e investir.

ATIVO FINANCEIRO: Valor mobiliário que, geralmente, confere ao seu titular um crédito ou um direito de propriedade sobre a entidade emissora, tais como instrumentos de divida e ações.

CAPITAL: É a soma de todos os recursos, bens e valores, mobilizados para a constituição de uma empresa.

CAPITAL AUTORIZADO: Limite estatutário, de competência de assembléia geral ou do conselho de administração, para aumentar o capital social de uma empresa.

CAPITAL DE GIRO: É a parte do capital da empresa que se destina ao dia-a-dia dos negócios. É o dinheiro que vai ser usado para pagar fornecedores, salários e contas em geral. É importante que a empresa tenha capital de giro suficiente, caso contrário precisará tomar empréstimos no mercado, quando estiver apertada, sem caixa, para pagar seus compromissos.

CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO OU CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO (CCL): O capital de giro líquido, também conhecido como capital circulante líquido representa a dedução do passivo circulante do ativo circulante, expresso da seguinte forma: CCL = AC – PC, sendo: CCL: capital circulante líquido; AC: ativo circulante; PC: passivo circulante.

CAPITAL SOCIAL: Montante de capital de uma sociedade anônima que os acionistas vinculam a seu patrimônio como recursos próprios, destinados ao cumprimento dos objetivos da mesma. A soma do capital social integralizado de uma empresa, juntamente com as reservas de capital, as de reavaliação e de lucro, assim como o lucro ou prejuízo acumulados no período, forma o patrimônio líquido de uma empresa.

CHEQUE ESPECIAL: Operações de crédito vinculadas a contascorrentes mediante a utilização de limite de crédito préestabelecido sem necessidade de comunicação prévia à instituição financeira.

CONTA GARANTIDA: Operações de crédito vinculadas à conta-corrente de pessoas jurídicas, associadas à utilização de limite de crédito pré-estabelecido. Caracterizam-se pela amortização automática do saldo devedor, quando ocorrem depósitos na contacorrente. Diferenciam-se do cheque especial por causa de solicitação de eventuais garantias.

FACTORING: Empresas que fornecem serviços de assistência financeira, gestão de crédito e de administração financeira em geral.

FLUXO DE CAIXA: Termo utilizado para denominar o demonstrativo de origem e aplicação de recursos divulgados pela empresa. Ele apresenta o fluxo de entradas e saídas de dinheiro do caixa. Além disso, é uma medida para se determinar o valor de uma empresa, através do fluxo de caixa descontado. A importância do fluxo de caixa descontado é poder informar o grau de atratividade de uma oportunidade de investimento.

GARANTIA: O termo garantia se refere aos itens usados por uma empresa ou indivíduo para sustentar o crédito quando levanta um financiamento. Dessa forma, a garantia de um empréstimo pode ser qualquer ativo sobre o qual o credor (quem emprestou o dinheiro) tem um direito legal, que pode ser exercido caso o tomador do empréstimo não cumpra alguma das cláusulas do contrato.

GIRO DE ATIVO: Indicador de análise financeira que indica a eficiência com que a empresa usa seus ativos para gerar vendas. O indicador é calculado como sendo a divisão da receita líquida de vendas pelo ativo total da empresa. Quanto maior o índice, mais eficiente é a empresa no uso de seus ativos.

GIRO DE CAIXA: Indicador de análise financeira que expressa o número de vezes por ano que o caixa de uma empresa gira. Este indicador é o resultado da divisão entre as receitas da empresa e o seu capital circulante. Quanto maior o indicador, mais eficiente é a empresa na gestão do seu caixa e vice-versa.

GIRO DE ESTOQUE: Indicador que expressa com que velocidade a empresa é capaz de girar seus estoques durante um ano. Este indicador é o resultado da divisão entre o custo de mercadorias vendidas e o valor do estoque médio da empresa em certo período. Para determinar o período médio dos estoques de uma empresa, basta apenas dividir o número 365 pelo giro de estoques. Em geral o melhor é que uma empresa possua um giro alto de estoque, pois isto provavelmente significa maior volume de vendas.

LINHA DE CRÉDITO: Acordo pelo qual um banco se compromete conceder um empréstimo de determinado montante a um terceiro, até um certo limite e em qualquer momento.

IOF (IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES FINANCEIRAS): Incide sobre o ganho da aplicação de fundos de renda fixa. Tem uma liquidez diária, de acordo com uma tabela regressiva, até o 29º dia da aplicação, estado isentos a partir do 30º dia.

JUROS: Remuneração que o detentor do dinheiro cobra para conceder um empréstimo. O valor do juro (seu percentual) é considerado como o custo ou preço do dinheiro. Como qualquer outro bem na economia, o custo do dinheiro (taxa de juros) é determinado pela oferta e procura.

JUROS COMPOSTOS: Quando os juros são pagos não apenas sobre o valor do principal, mas também sobre os juros obtidos em relação ao principal nos períodos anteriores. No cálculo dos juros compostos, os juros obtidos em um período são incorporados ao principal no período seguinte.

JUROS SIMPLES: Ao contrário dos juros compostos, neste caso os juros são pagos apenas sobre o valor do montante (ou principal) da aplicação ou empréstimo.

LIQUIDEZ: Termo usado para determinar a capacidade que um título tem para ser convertido em moeda. No mercado financeiro é a tradução de facilidade de negociação, visto que quanto maior a liqüidez, mais fácil será a compra ou venda de um ativo.

LIQUIDEZ CORRENTE: Indicador utilizado na análise financeira de uma empresa, que determina o quanto esta empresa tem a receber no curto prazo em relação a cada unidade monetária que deve pagar no mesmo período. O indicador é resultado da divisão entre o ativo circulante e o passivo circulante de uma empresa.

LIQUIDEZ GERAL: Indicador de análise financeira, utilizado para medir a liquidez de uma empresa. Ao contrário do indicador de liquidez corrente, que indica quanto uma empresa tem a receber em relação ao que deve no mesmo período, este indicador engloba também os ativos e passivos de longo prazo, ou seja, aqueles que serão realizados em um prazo superior a um ano. Este indicador é o resultado da divisão entre o ativo circulante mais realizável a longo prazo pelo passivo circulante mais o exigível a longo prazo da empresa.

LIQUIDEZ SECA: Assim como o indicador de liquidez corrente, o indicador de liquidez seca reflete a capacidade de uma empresa em cumprir com suas obrigações de curto prazo. A única diferença na fórmula de cálculo é que os estoques são excluídos dos ativos circulantes da empresa. A suposição básica é de que os estoques são ativos menos líquidos e, portanto, devem ser ignorados.

TAXA DE JUROS:  Taxa cobrada para empréstimos, créditos ou financiamentos de dinheiro e seu valor expressa o custo do dinheiro no mercado. É um ganho para o emprestador e uma despesa para o tomador do empréstimo.

Esperamos ter lhe ajudado com os principais termos sobre Capital de Giro!

Close Bitnami banner
Bitnami