Saiba como fazer um empréstimo em 2022

Publicado por Lucas Avila - 22/02/2022

Se você nunca ficou no vermelho, é bem provável que conheça alguém que já esteve numa situação dessas. Educar-se financeiramente é muito importante nessas horas, portanto, esse artigo vai te ajudar a fazer um empréstimo em 2022 com inteligência.

A pandemia fez com que muitas pessoas tenham perdido os seus empregos e, consequentemente, as dívidas dispararam. A solução encontrada por muitos foi a de recorrer a empréstimos ou algum tipo de crédito para desafogar suas despesas.

Compreenda como funciona um empréstimo

Em linhas gerais ele é um contrato feito geralmente com um banco ou com uma financeira, para te emprestar dinheiro com um prazo pré-determinado e, caso haja, inadimplência geram juros que não são bem-vindos.

Um empréstimo não precisa, necessariamente, ser feito em situações de aperto. Às vezes você precisa apenas fazer uma compra específica, ou até mesmo, uma viagem para o exterior.

O que é importante se atentar, é com relação aos prazos. Empréstimos alimentam os bancos com base em juros, então quanto mais tempo você demorar para quitar mais essas taxas vão virar uma bola de neve.

Conheça os tipos mais comuns de empréstimos

Dependendo da situação, pode existir um tipo de empréstimo específico para o seu perfil. Existem empresas que oferecem créditos dos mais variados possíveis, portanto, entenda qual se encaixa com suas intenções e avalie as possibilidades:

Empréstimo consignado

Essa modalidade talvez seja uma das mais comuns no dia a dia do brasileiro. Aqui, existe tanto a possibilidade de o desconto do empréstimo ser na folha de pagamento quanto diretamente na sua aposentadoria.

Na prática isso não necessariamente é bom, pois acionando esse tipo de empréstimo, sua renda automaticamente fica comprometida e direcionada para aquele benefício em questão.

Por essas particularidades, esse tipo de empréstimo é comumente usado por funcionários públicos, pensionistas e aposentados. Entretanto, a inadimplência nesse modelo pode ser um grande problema por causa dos altos juros.

Um exemplo: um ex-funcionário de uma empresa que presta serviços de escrituração, resolve acionar um empréstimo consignado de um valor pré-determinado. O pagamento desse aporte será descontado diretamente de sua aposentadoria.

Crédito pessoal

Tão comum quanto o empréstimo consignado, o crédito pessoal se trata de um empréstimo geralmente solicitado em bancos em que o solicitador pode usar o dinheiro da forma que achar conveniente.

Neste modelo, não existe a necessidade de se apresentar garantias de pagamento ao credor. Entretanto, ao escolher essa opção, as instituições financeiras pedem uma análise de crédito, verificam históricos de inadimplência e só depois liberam a verba.

Exemplo: um programador está trabalhando em um desenvolvimento de software para nota fiscal, porém, ele precisa de mais recursos para seguir com a programação. Já que ele possui um histórico bom, ele pode recorrer ao crédito pessoal.

Crédito estudantil ou universitário

Esse tipo de crédito é destinado a estudantes que precisam pagar suas dívidas estudantis. Em linhas gerais, esse benefício é solicitado pelo estudante e ele só começa a pagar depois de concluir seus estudos.

É uma pedida para quem está enfrentando altos valores de mensalidades, pois o pagamento depois pode ser diluído em parcelas. No entanto, existe um prazo pré-estabelecido após a conclusão do curso em que o estudante precisa quitar sua dívida.

Exemplo: um estudante de tecnólogo em serviços contábeis para empresas, está desmotivado com os aumentos semestrais nos valores das mensalidades. Então ele resolve solicitar um crédito estudantil a fim de continuar estudando com tranquilidade.

Crédito habitacional

O crédito habitacional é concedido exclusivamente para construção, reforma ou aquisição de uma moradia. É nele que o beneficiário pode conseguir uma ajuda para realizar o sonho da casa própria.

Os prazos de pagamento são mais longos do que algumas outras formas de crédito e, justamente por isso, essa modalidade pode ser compreendida como uma espécie de financiamento imobiliário.

Exemplo: um trabalhador que trabalha com consultoria contábil, ainda não possui recursos suficientes para adquirir sua casa própria. Ele então, observando sua renda, percebe que pode recorrer ao crédito habitacional e ir pagando no decorrer dos anos.

Crédito automotivo

Também chamado de crédito auto, esse modelo se trata do empréstimo fornecido exclusivamente para a compra de um veículo. Podem fazer usufruto desse crédito tanto quem quer um carro para si, quanto que possui intenções de vender.

Vale ressaltar, que nessa modalidade é necessário que o beneficiário obrigatoriamente seja uma pessoa física, não podendo, então, ser em nome de uma concessionária de veículos, por exemplo.

Exemplo: Um trabalhador quer sair do transporte público para chegar ao seu escritório de consultoria tributária. Ele então resolve adquirir um crédito auto para conseguir seu carro próprio para uso pessoal.

Crédito consolidado

O crédito consolidado é uma alternativa interessante para quem quer economizar tempo. Isso porque, essa modalidade dá a possibilidade de juntar todos os seus créditos em um só, com a mensalidade mais baixa do que se pagava antes.

A principal vantagem é, sem dúvidas, a redução considerável na mensalidade se comparada ao que era pago anteriormente. No entanto, outro benefício que chama a atenção é de se ter somente um credor e não vários.

É importante mencionar que nessa vertente, justamente por já existir um desconto na mensalidade, não há a possibilidade de se ter uma mensalidade variável, isto é, o que for proposto previamente, será o valor a ser cobrado até o quitamento completo.

Exemplo: um funcionário de uma empresa que presta serviços de desenvolvimento de software se vê muito atarefado na empresa ao ponto de não conseguir administrar todos os seus créditos.

Ele então opta por solicitar um crédito consignado para ter todos os seus créditos compactados, além de ter uma redução considerável no valor das mensalidades.

Fique em alerta para não ter prejuízo

Entrar em um empréstimo é se comprometer financeiramente com algo. Desse modo, entenda bem a modalidade que melhor atende suas necessidades e se atente às particularidades de cada uma para que você não se surpreenda negativamente.

É importante conhecer e estudar as alternativas e estruturar um planejamento para não ficar no vermelho. Além disso, tome cuidado com golpes. Confira as dicas a seguir para se proteger:

Verifique a reputação do credor

Existem várias empresas de financiamentos e empréstimos no mercado e, assim como em todas as áreas, existem algumas mais interessantes do que outras. Portanto, pesquise informações sobre essas empresas e busque avaliações antes de tudo.

Exemplo: caso encontre um credor que tenha avaliações de um de seus clientes, que é uma empresa de gestão empresarial, por exemplo, é um bom motivo para você não se envolver.

Desconfie de valores fora do mercado

Todas as áreas que envolvem dinheiro estão sujeitas a golpes. Infelizmente, existem pessoas mal intencionadas que só querem te prejudicar. Por isso, sempre desconfie de anúncios que possuem soluções milagrosas com valores muito fora do mercado.

Verifique o endereço da financeira

Uma dica pouco usada, mas que faz toda a diferença na prevenção de um golpe, é a de verificar onde está localizada a empresa de crédito. A grande maioria dessas empresas possuem um escritório físico e saber essa informação transmite confiança.

Não pague para contas em PF

Contas em pessoa física não são usadas para recebimento de pagamento, isso porque as empresas de crédito possuem contas empresariais registradas no CNPJ da empresa. Caso se depare com uma conta PF para pagamento, isso pode ser um golpe.

Entenda como se faz um empréstimo

O “como” é a parte fácil. Isso porque é possível solicitar esse tipo de serviço tanto diretamente com as empresas, quanto através da internet. Pergunte as condições e sempre questione sobre o que não tiver ficado claro para você.

Quanto à documentação, é necessário checar o que é pedido pelas operadoras, entretanto, algumas documentações são praticamente indispensáveis, como:

  • CPF;
  • RG;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de renda.

Caso aceite a proposta, verifique se falta algum outro documento para se entregar e complemente essa lista.

O cenário de 2022 é propício para empréstimos?

Durante a pandemia do coronavírus, as oportunidades se saturaram, fazendo com que muitas pessoas perdessem seus empregos e recorressem aos empréstimos para conseguirem se manter.

Se bem utilizado, um empréstimo pode te ajudar a conseguir se reestruturar quanto às dificuldades apresentadas em decorrência desse período tão difícil.

Dá para entender 2022 como um ano de transição, portanto, entenda esse ano como tal. Faça um planejamento financeiro prévio e entenda as suas prioridades. Após isso, avalie a possibilidade de fazer um empréstimo de acordo com suas necessidades.

É importante ter tudo esquematizado, para não se deparar com os altos juros que podem aparecer pelo caminho, ou seja, tenha um sistema para controle financeiro. Domine o contrato que foi assinado por você para evitar maiores problemas.

Com domínio das dicas apresentadas neste artigo, certamente você conseguirá ter um alívio por saber como fazer um empréstimo com responsabilidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Quer estar por dentro do mundo das finanças?

Assine a newsletter do Conexão Financeira.