Veja se é viável usar o FGTS para acordo de dívidas

Publicado por Lucas Avila - 28/03/2022

Diversas são as razões pelas quais uma pessoa pode acabar endividada. Como um problema inesperado, um tratamento de saúde ou um cano que estourou em sua casa. Para fugir desses débitos é possível usar o FGTS para acordo de dívidas.

Sendo preciso para isso analisar um conjunto de questões, incluindo até mesmo a natureza de tal dívida, podendo estar associada a algum empréstimo para levantar o seu negócio próprio, contando um número relevante de juros associados a tais parcelas.

Algo que durante sua previsão de contas parecia ser um valor adequado, porém, caso o seu negócio não se ache como o previsto, é possível que falte capital mensal para arcar com esse débito, permitindo assim com que esse déficit se torne ainda mais impactante.

Capaz de impedir até mesmo em apostar nos investimentos necessários para que esse negócio em questão consiga conquistar bons resultados. Como uma nova empresa de projetos elétricos, que precisa de uma ótima divulgação para se destacar no mercado.

O problema é que uma alta taxa pode acabar por tornar tais dívidas muito maiores, colocando o cliente em uma situação de inadimplência, por não ter como arcar com uma dívida que saiu do seu controle, colocando em risco o seu patrimônio.

Pois dependendo do investimento, é possível que tal pessoa possa ter dado como seguro a sua casa própria, ou até o mesmo o espaço utilizado para a comercialização dos seus produtos ou serviços, em relação ao seu empreendimento recém-aberto.

Sendo uma opção até mesmo fazer uma avaliação de bens imóveis, para que a venda de algo do seu patrimônio pessoal possa ser o suficiente para arcar com tais dívidas enormes, limpando o nome do indivíduo no mercado, e garantindo a segurança do seu espólio.

O melhor conselho para evitar que seus débitos bancários cheguem a números tão exorbitantes, é através da liquidez deles enquanto eles se encontram em um valor baixo, antes que a aplicação de juros compostos seja feita em cima desse montante.

E uma opção para se arranjar um capital rápido, para dar fim a tais dívidas, é por meio do saque do seu FGTS, um direito do trabalhador brasileiro que vem se destacando nos últimos anos como uma opção favorável em relação à conclusão de suas dívidas.

Como funciona o FGTS?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi criado em 1966 com o objetivo de garantir uma proteção em relação aos trabalhadores, em casos de demissões sem justa causa, ou seja, quando não existe razão para o corte desse funcionário em uma empresa.

Agindo então como uma reserva para tais trabalhadores, com esse montante sendo responsabilidade dos empregadores, que através de uma contratação via CLT deve depositar o mínimo de 8% do salário mensal a ser recebido por esse funcionário.

Cabendo então a uma empresa de instalações elétricas transferir esse valor de forma constante para a conta desses funcionários, a ser aberta por meio da Caixa Econômica Federal, sendo o local no qual essa reserva financeira será armazenada.

Agindo de forma similar a como funciona a contribuição em cima da Previdência Social, a garantir a futura aposentadoria de tais funcionários. Com o saque do FGTS ocorrendo principalmente em uma demissão sem justa causa.

No entanto, existem outras possibilidades no qual o saque total desse valor é permitido, sendo eles:

  • Aposentadoria;
  • Investimento em uma casa própria;
  • Encerramento da empresa empregadora;
  • Doenças graves em relação ao trabalhador ou parentes diretos.

Em caso de uma rescisão de comum acordo, por exemplo, um funcionário que atua com o serviço de instalação de câmeras de segurança, e que precisa se afastar de tal empresa, para se educar para outro país, o saque do FGTS também é liberado.

Contudo, nesse tipo de caso o valor liberado é correspondente somente a 80% do valor total. De qualquer forma, outros modelos de saque foram sendo disponibilizados pelo Governo Federal, como o saque emergencial do FGTS durante o período da pandemia.

No ano de 2020 foi liberado a qualquer indivíduo que possuísse uma conta ativa no FGTS um saque no valor de até R$ 1045, equivalente ao salário mínimo na época. Montante esse que surgiu como uma boa opção para as pessoas quitarem dívidas de baixo a médio valor.

Uma retirada de valor emergencial, podendo ser feita apenas durante aquele período específico. Contudo, entrava em vigor naquele mesmo ano um novo modelo de saque do FGTS além do saque-rescisão, sendo o saque-aniversário.

Sistema esse no qual é possível anualmente retirar parte do valor acumulado em seu FGTS, ao invés da retirada completa em relação a um dos tópicos citados anteriormente. Um modelo válido para quem atua em qualquer tipo de atividade regida pela CLT.

Permitindo com que um funcionário de uma companhia de automação elétrica industrial possa fazer o seu saque do seu fundo de garantia durante o seu mês de aniversário, seguindo o calendário disponibilizado mundialmente pelos órgãos responsáveis.

Com esse montante anual podendo ser usado como uma opção relevante para quem busca arcar com suas dívidas.

O FGTS como uma solução para suas dívidas

Um dos principais usos do FGTS é no abatimento de dívidas, principalmente em um período de estabilidade econômica, onde muitas pessoas acabam acumulando débitos por causa das altas taxas de juros.

E de fato é viável usar desse montante financeiro para finalizar suas dívidas, e se colocar em uma situação de crédito positivo no mercado, o que é importante até mesmo para se realizar outros tipos de investimentos no futuro.

Algo a fazer com que o próprio Governo Federal considere liberar uma nova modalidade do saque do FGTS, voltado justamente para o pagamento de dívidas, conforme adiantou o ministro da economia Paulo Guedes em fevereiro de 2022.

Enquanto isso não acontece, o saque de rescisão e aniversário continuam sendo as opções viáveis para alguém que busca usar do seu fundo de garantia com tal objetivo. Sendo importante então verificar qual o valor disponível para resgate no seu FGTS.

Para que assim seja possível analisar se essa quantidade é o suficiente para arcar com um contrato realizado com um importador de peças para empilhadeiras, necessário para abertura e funcionamento do seu negócio de armazenamento e transporte de cargas.

E em relação a verificação do seu FGTS, isso pode ser feito a partir de soluções práticas, como por aplicativo, telefone ou envio de SMS e e-mail. Sem que seja necessário para o indivíduo se mover até uma agência física da Caixa Econômica Federal.

Após verificar tal disponibilidade e a partir disso tomar a decisão de fazer esse saque, e para que seja possível pagar seus débitos financeiros, só é preciso então ter precaução adequada, através de práticas que possam te ajudar a se organizar economicamente.

Como usar o FGTS para arcar com seus compromissos

Existem 3 passos específicos que podem ajudar você a tomar a decisão de sacar ou não o seu FGTS no momento, para realizar a compensação de suas dívidas, assim como os juros associados à elas. Sendo eles:

  • Tenha um bom planejamento

Trabalhar com um planejamento financeiro pode ajudar alguém até mesmo a evitar o surgimento de tais dívidas, contudo, caso elas se tornem uma realidade, é preciso ter um plano também para que seja possível se livrar delas.

Nesse sentido é importante estudar o mercado, analisar suas possibilidades e até mesmo negociar esses débitos com seus credores, e a partir daí recorrer ao FGTS, caso ele se mostre como a melhor opção.

  • Trabalhe com metas

O passo seguinte, principalmente após fazer algum tipo de empréstimo, é trabalhar com metas de pagamento, para que assim seja possível arcar com suas despesas sem prejudicar suas finanças pessoais ou da sua família.

Principalmente quando se trata de um dinheiro a ser visto como um seguro no caso do FGTS, importante de ser aplicado em ações que garantam a  segurança da sua família, assim como a realização de um projeto contra incêndio para a proteção de um prédio.

  • Olhe o valor da dívida

Outro ponto importante em relação ao valor desse débito, pois caso o rendimento do seu FGTS não cobrir a taxa de juros de sua dívida, é capaz de você continuar a tê-la, e da mesma forma perder sua única segurança financeira.

Sendo preciso usar de sua inteligência financeira para não sofrer grandes riscos, além de não causar frustrações em você e sua família. Sendo recomendado usar o FGTS para resolver dívidas pequenas, antes que elas assumam altos níveis.

Para com o nome limpo no mercado seja possível voltar a procurar por construção de casas de alvenaria preço, indo em busca então do sonho da casa própria.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Quer estar por dentro do mundo das finanças?

Assine a newsletter do Conexão Financeira.