Capital‌ ‌de‌ ‌giro:‌ ‌o‌ ‌que‌ ‌é,‌ ‌para‌ ‌que‌ ‌serve‌ ‌e‌ ‌como‌ ‌ calcular‌

Equipe Conexão Financeira - 24/08/2020

O capital de giro é um dos conhecimentos imprescindíveis para ter sucesso com empreendimentos. Mas você sabe do que se trata? Já ouviu falar, porém tem dúvidas de como funciona e para que serve? Então, acompanhe-nos para ficar por dentro do assunto.

Considera que precisa desse recurso e não sabe por onde começar? Conte com a Conexão Financeira para encontrar a solução ideal para o seu negócio!

O que é capital de giro?

Se a pandemia fez surgir novas demandas, consequentemente, novas empresas tiveram o seu pontapé inicial neste período. 

Mas para sobreviver no mundo dos negócios e ir contra os dados que indicam o fechamento de empresas nos primeiros dois anos de atividade, é preciso conhecer a saúde financeira do seu empreendimento a fim de mantê-lo ativo. 

O capital de giro é um montante financeiro que a empresa dispõe para custear as despesas, tanto variáveis quanto fixas, ao mesmo tempo em que aguarda a entrada de valores provenientes da comercialização de seus produtos ou serviços.

Se pensarmos na administração de uma residência, por exemplo, seria o dinheiro que a família teria à disposição para quitar contas como aluguel, água, luz, telefone, entre outros gastos, antes mesmo do recebimento da renda mensal. 

Por outro lado, em uma empresa que comercializa produtos, o capital de giro serve para manter o negócio operando normalmente, mesmo que as vendas caiam. 

Ou seja, se as vendas subirem ou reduzirem, o negócio continua funcionando, pois possui um capital de giro que serve para cobrir as despesas fixas e ainda garante que gastos variáveis sejam quitados.

Qual é a importância do capital de giro?

Possivelmente você conhece alguma empresa que não possui capital de giro ou desconhece o assunto. Então, qual a importância do tema? Ele é fundamental, então vejamos o porquê.

É o capital de giro que mantém a sobrevivência de um negócio no mercado, principalmente considerando as oscilações que a economia sofre em todos os segmentos.

Portanto, fazer a gestão do capital de giro, reservando-o de acordo com os gastos fixos e prevendo os custos variáveis (com base no que a empresa já enfrentou) é uma ação fundamental para saúde financeira do seu negócio.

Exemplos do que pode ser feito com o capital de giro

Agora que compreendemos o que ele é, fica a dúvida: o que fazer com o capital de giro? Vejamos a seguir.

Estoque

O capital de giro serve como recurso para manter o estoque. Com isso, seu negócio consegue atender às demandas dos clientes de maneira mais imediata.

Custos operacionais

O uso do valor do capital de giro serve também para custear os gastos com fornecedores (compra de matéria-prima ou mercadorias para revenda) e pagamento de salários de funcionários, impostos, entre outros custos operacionais.

Vendas a prazo

Quando as vendas a prazo são uma prática recorrente em um negócio, então, caracteriza-se como um financiamento ao cliente. Afinal, sua empresa deixa de receber no momento da venda para receber o valor no futuro.

É neste momento que entra o capital de giro. Ele serve para custear os gastos que surgirem até a efetivação do pagamento da compra feita a prazo.

Como o capital de giro é calculado?

Primeiramente, faça o levantamento de todos as contas a receber e some a elas o valor que seu negócio possui em estoque. 

Na sequência, analise todas as contas a pagar e some a elas o valor de impostos e despesas a serem quitados. O capital de giro é a diferença entre os recursos disponíveis em caixa e a soma das contas a pagar e despesas.

Cálculo para saber o Capital de Giro
Fonte: Conexão Financeira com base em Sebrae (2020).

Percebeu como ele é fundamental para a operação do seu negócio? Por isso, é preciso fazer a correta gestão financeira de sua empresa para garantir que o capital de giro esteja de acordo com as necessidades de operação.

Como conseguir capital de giro?

Mas digamos que seu negócio começou ‘no vermelho’ e ainda não conseguiu ter esse montante financeiro. Como conseguir capital de giro? Confira algumas sugestões:

Aporte de sócios

Utilize suas economias e convide seus sócios para fazer isso também, pois, dessa forma, vocês estarão injetando capital no próprio negócio sem a preocupação inicial de contrair dívidas.

Renegociação de parcelas e dívidas

Faça um levantamento de todas as dívidas e parcelamentos e tente renegociar com fornecedores e parceiros. 

Esta alternativa não é uma forma de gerar capital de giro, mas consegue atuar na diluição dos custos de operação do seu negócio no curto prazo.

Lembre-se de manter a pagamento em dia para que isso não suje a reputação de sua empresa. 

Antecipação de recebíveis

Nesta modalidade, seu negócio consegue arcar com juros mais baixos, pois está trabalhando com valores de vendas concretizadas. 

Como o próprio nome diz, uma instituição financeira que faça a antecipação de recebíveis está, na prática, adiantando um valor para sua empresa que está garantido pela venda que já foi efetuada.

Importante: esta opção não deve ser uma prática recorrente. Faça uso dela quando o capital de giro realmente estiver baixo para manter a saúde financeira da empresa.

Empréstimos bancários para Pessoa Jurídica

Esta seria a opção mais óbvia para alguém iniciando sua jornada no mundo dos negócios. Pode ser uma alternativa para a sua empresa se as anteriores não se encaixarem em seu cenário de operação. 

Mas tenha sempre em mente que as taxas, juros, multas e o custo final efetivo do empréstimo também pesam na gestão financeira da empresa.

Confira nossos serviços financeiros e garanta capital de giro para sua empresa com as melhores condições!

Conclusão

Seja para expandir o negócio, dar início a um novo projeto ou manter a saúde financeira da sua empresa, o capital de giro é um valor imprescindível para não entrar nas estatísticas de empresas que encerram atividades nos primeiros dois anos. 

Por isso, procure-nos para encontrar a melhor opção caso sua empresa ainda não tenha um capital de giro ou esteja com dificuldades para manter a operação.

Quer compreender mais sobre a gestão financeira de seu negócio? Confira os conteúdos a seguir e tire suas dúvidas:

Apenas 23% das pequenas e médias empresas buscam crédito para capital de giro fora dos bancos tradicionais
Máquina de Cartão para MEI – como escolher?
Financiamento Empresarial e Leasing – Conheça as diferenças
5 razões para abrir uma Conta Digital para a sua Empresa hoje mesmo!